Proibição acaba com debate sobre publicidade infantil, diz Tatit do Palavra Cantada

Share to Facebook Share to Twitter Share to Email

O cantor e compositor Paulo Tatit é contra qualquer lei que proíba a publicidade infantil. O músico do Palavra Cantada compara as propagandas dos anos 70 e 80 e considera que as de hoje são muito mais cuidadosas. Para ele, essa conscientização dos profissionais de publicidade e do público é importante que aconteça naturalmente na sociedade através de discussão e debate. Tatit considera que uma lei de proibição acaba com esse debate e impede que a sociedade amadureça nessa questão.

Share to Facebook Share to Twitter Share to Email

Comentários (3)

Você deve efetuar o login para deixar um comentário.


  • Talita Souza da Cruz comentou em 10 de fevereiro de 2012

    Concordo com o Tatit. As propagandas de antigamente eram muio mais escancaradas. Hoje em dia existe toda uma fiscalização por parte dos orgãos responsáveis. Divulgar o trabalho desses profissionais e de outros que trabalham com o mundo infantil é muito importante.

  • adriana matera milward cotrim comentou em 1 de março de 2012

    A proibição publicitária certamente é algo que além de ferir os princípios democráticos exclui a sociedade do contato daquilo que não é bom e também daquilo que é interessante. É preciso trabalhar o olhar para que as propagandas não atraiam, principalmente às crianças, para o caótico mundo consumista. Pois há na inocência aparente do universo infantil, em especial nas propagandas de brinquedos, uma teia que prende e conspira, planejando tornar o indivíduo um consumidor voraz, ávido pelo "prazer" de comprar e comprar e comprar...

  • Somos Todos Responsáveis comentou em 2 de março de 2012

    Oi Adriana, muito boa sua participação. Este debate serve para poder divulgar que já existem mecanismos para impedir essas práticas que você muito bem alertou. Sempre que ver alguma propaganda que faça isso, denuncie para o Conar (www.conar.org. br).

    Obrigado e ajude a divulgar nossa campanha também no Facebook e nos acompanhe no Twitter (@sresponsaveis)