Publicidade ensina criança conviver com sociedade de mercado, diz Pondé

Share to Facebook Share to Twitter Share to Email

O filósofo e colunista da Folha de S.Paulo Luiz Felipe Pondé defende o Conar como órgão regulador da publicidade. Segundo ele, é ali que se encontram representantes da sociedade civil e profissionais da propaganda que entendem do assunto para definir quem está ou não fazendo a publicidade corretamente. Pondé também vê a publicidade como uma forma de a criança tomar contato com seus desejos e a realidade de uma sociedade avançada de mercado. “Fala-se que as crianças devem crescer num ambiente estimulante, devem aprender a lidar com a realidade, que a criança deve ser educada a tomar decisões.” Para ele, a proposta de proibir a propaganda infantil beira o fascismo, porque se propõe a defender uma boa causa mas com consequências perigosas para a democracia. Ele diz que a ideia de que a publicidade transforma todo mundo em “macacos repetidores é muito antiga”.

Assista ao depoimento de Luiz Felipe Pondé e veja também o que o professor da ESPM, Hiran Castello Branco diz sobre a participação da publicidade em campanhas sociais.

 

Share to Facebook Share to Twitter Share to Email

Nenhum Comentário

Você deve efetuar o login para deixar um comentário.