Brasil moderno não precisa de tutela, diz Marcello Serpa

Share to Facebook Share to Twitter Share to Email

Marcello Serpa é sócio e diretor geral de Criação de uma das agências mais premiadas do mundo, a AlmapBBDO, e diz que o sucesso da publicidade brasileira se deve por ser uma das poucas que exerce a autorregulamentação, um controle feito pelo Conar. Ele é contra a tutela do Estado na propaganda porque, segundo diz, a sociedade brasileira é diversa, abriga opiniões diferentes e, para se chegar a uma decisão madura sobre o futuro da propaganda é preciso conversar, buscar um denominador comum. Serpa é pai e diz que não admite que o governo ou uma parcela da sociedade se responsabilize pela educação de seus filhos. Veja seu depoimento na íntegra.

Conheça também o que diz o presidente do Conar, Gilberto Leifert.

 

Share to Facebook Share to Twitter Share to Email

Comentário (1)

Você deve efetuar o login para deixar um comentário.


  • Rafaela Jarczewski comentou em 19 de abril de 2012

    Concordo com Marcello Serpa quando ele diz que os pais devem ser os responsáveis pelo o que seus filhos consomem ou não e que não cabe ao estado decidir por eles, porém é preciso enxergar que a realidade onde os pais invariavelmente tomam a decisão correta e não cedem aos desejos dos filhos é ilusória. Acredito que a publicidade para crianças não deva ser proibida, afinal, a criança de alguma forma ou de outra vai ter acesso aos bens que estão disponíveis pra ela, mas uma vez que se trata de crianças, que não possuem o nível de discernimento adequado, a publicidade para elas deva ser somente informativa, jamais persuasiva, e obedeçam às suas normas de veiculação.